Barra Urgente

Barra Urgente


Resultado da busca pela categoria "esporte"

Brasil volta ao palco do 7 a 1 em clássico contra a Argentina

Quinta | 10.11.2016 | 12h02


(Foto: Reprodução)

O Brasil e a Argentina se enfrentam hoje (10) no Mineirão, às 21h45, em partida válida pelas eliminatórias da América do Sul para a Copa do Mundo de 2018. O confronto marca o retorno da Seleção Brasileira ao palco onde sofreu a maior derrota de sua história, quando foi goleada por 7 a 1 pela Alemanha na semifinal da Copa do Mundo de 2014. O duelo colocará Neymar e Lionel Messi em lados opostos, encontro que ocorrerá pela primeira vez em uma partida oficial por suas seleções. Os dois atletas, que atualmente são colegas no Barcelona, já se enfrentaram em quatros ocasiões. Messi levou a melhor três vezes e a outra disputa terminou empatada. Neymar nunca venceu. Três desses encontros ocorreram em partidas amistosas entre o Brasil e a Argentina. O quarto confronto entre os dois jogadores se deu quando Neymar ainda defendia a camisa do Santos, que acabou goleado por 4 a 0 para o Barcelona na final do Mundial de Clubes de 2011.

Brumado: Realiza Seguros lança o seguro Protector Bikes

Segunda | 19.09.2016 | 08h00


Foto: Divulgação

Muitos brasileiros tem investido em bicicletas de alto custo para a prática esportiva, lazer e meio de transporte. Com isso, houve um aumento nas ocorrências de furtos e roubos de bikes. Hoje, este equipamento representa um patrimônio que precisa ser protegido. E a Realiza Seguros oferece uma proteção completa para o ciclista com o Seguro de Bike. O Seguro de Bike cobre roubo e furto quando a bike está em uso, guardada ou em transporte. Cobre os custos de reparo em acidentes, além de cobrir os prejuízos provocados a terceiros. Faça uma visita a Realiza Seguros que fica na Praça Capitão Francisco de Souza Meira, 104 (ao lado da igreja Matriz), (77) 3441-6853 / 99957-6500 (vivo) e conheça mais essa novidade que a Realiza Seguros traz para você ou clique aqui e preencha o formulário para cotação.

Ricardo Costa leva primeiro ouro no salto em distância para cegos

Quinta | 08.09.2016 | 16h04


(Foto: Reprodução)

Pulo no escuro e para história. Ricardo Costa é o primeiro brasileiro a conquistar medalha de ouro nos Jogos Paralímpicos do Rio. Cego por conta da Doença de Stargardt, que causa perda da visão de forma degenerativa, o sul-mato-grossense de Três Lagoas se tornou campeão paralímpico do salto em distância T11 em prova cheia de emoção na manhã desta quinta-feira. Líder na maior parte do tempo, foi ultrapassado pelo americano Lex Gillete no penúltimo salto, mas manteve a frieza para fazer 6.52m na tentativa derradeira e liberar o barulho até então proibido para o torcedor presente no Estádio Olímpico. Ruslan Katyshev, da Ucrânia, ficou com o bronze.

Brumado enfrenta a seleção de Vitória da Conquista pelo intermunicipal

Sexta | 02.09.2016 | 15h00


No próximo domingo (4), o time do Vitória da Conquista enfrentará a seleção de Brumado pela terceira rodada do campeonato intermunicipal. A partida será realizada ás 15 horas, no Estádio Municipal Gilberto Cardoso. No último jogo pela competição, o Bode goleou a seleção de Caetité por 4×0, resultado que o colocou na liderança isolada do Grupo 12. O alviver tem seis pontos, dois a mais que Brumado. A próxima partida será apitada por Uilson Costa Figueiredo (Macaúbas), auxiliado por Renan Monteiro Costa (Barrado do Choça) e Ramildo Rocha de Souza (Itapetinga). O 4º árbitro será Edna Cruz da Silva (Brumado). 

Ministro avalia como vitoriosa atuação do país na Rio 2016

Segunda | 22.08.2016 | 08h17


O ministro do Esporte, Leonardo Picciani, avaliou como vitoriosa a participação brasileira na Olimpíada do Rio de Janeiro. Picciani destacou o fato de que esta foi a melhor participação brasileira da história olímpica, com um total de 19 medalhas. Segundo a Agência Brasil, a avaliação foi feita no Rio Média Center (RMC), durante balanço da participação dos atletas brasileiros nos Jogos Olímpicos do Rio. “O Brasil teve sua melhor participação de todos os tempos em uma Olimpíada. Tivemos a maior delegação de todos os tempos, com 465 atletas, contra 259 em Londres e 277 em Pequim, em 2012 e 2008, respectivamente. Agora, neste último dia de competições, podemos dizer que o Brasil teve no Rio seu melhor desempenho numa Olimpíada, que começou pelo número recorde de nossa delegação, além de saírmos do 23º lugar em Pequim para o 13º no Rio”, discursou. Sobre o fato de o país não ter atingido a almejada décima colocação na Rio 2016, o Leonardo Picciani afirmou que essa era uma meta estipulada pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB), mas não pelo governo federal. Picciani garantiu que o governo federal continuará mantendo os programas Bolsa Atleta e Bolsa Pódio e pode até aperfeiçoa-los, como forma de chegar ao Japão em 2020 com capacidade de desempenhar um papel ainda melhor, superando a Rio 2016.

Com o apoio da tocida, Brasil busca ouro inédito contra a Alemanha no Maracanã

Sábado | 20.08.2016 | 15h01


(Foto: Reprodução)

Antes mesmo do início do Rio 2016, a final do futebol era um dos momentos mais esperados dos Jogos. Apesar de ser esperado que o Brasil estivesse na final, não era uma certeza. Agora é concreto. O ouro está a apenas um jogo e será decidido hoje, às 17h30, contra a Alemanha, no Maracanã. A goleada por 7x1 sofrida na Copa do Mundo de 2014, no Mineirão, pode até assustar aos torcedores, mas não aos atletas. Competição nova, história diferente. Agora, os garotos do sub-23 do Brasil vão pra cima com tudo, guiados pelo “veterano” Neymar, um dos mais experientes do time mesmo aos 24 anos.  No início da Olimpíada, o Brasil não encheu os olhos. Gerou conformismo de que a sonhada medalha não vinha. Logo nos dois primeiros jogos, insossos 0x0 contra África do Sul e Iraque. No último jogo da primeira fase, contou com a bênção da Fonte Nova, emplacou e fez 4x0 na Dinamarca. Nas quartas, o time do baiano Rogério Micale venceu a Colômbia por 2x0. Na reta final, os meninos voltaram a ser a equipe que faz qualquer brasileiro sentir orgulho. Atropelou Honduras: 6x0. 

Baiano Isaquias Queiroz é o primeiro brasileiro a conquistar três medalhas na mesma Olimpíada

Sábado | 20.08.2016 | 11h06


(Foto: Reprodução)

A conquista da medalha de prata na canoa dupla com Erlon de Souza neste sábado (20) marcou um fato histórico para Isaquias Queiroz. O atleta baiano, que já havia conquistado uma prata e um bronze na canoa individual, é o primeiro brasileiro a ganhar três medalhas em uma mesma olimpíada. "Me sinto muito feliz. Mas não é só de mim. A minha equipe toda está de parabéns", disse Isaquias, ao canal SporTV. Com os prêmios somados pelo atleta, o Brasil tem 16 medalhas até o momento. São cinco ouros, seis pratas e cinco bronzes.

Baianos Isaquias e Erlon vencem e garantem vaga na final

Sexta | 19.08.2016 | 14h03


(Foto: Reprodução)

O baiano Isaquias Queiroz, 22 anos, continua fazendo bonito na Olimpíada e venceu nesta sexta-feira, 19, a bateria de classificação dos 1000 metros em dupla e garantiu vaga direta para a final. Essa vitória é importante para Isaquias, já que ele, que está competindo todos os dias desde segunda, é poupado de ter que disputar a semifinal, que acontece ainda nesta manhã. Com isso, ele e o também baiano de Ubatã, Erlon de Souza, só voltam à água do Estádio da Lagoa neste sábado, 20, para a disputa de medalha.

Martine e Kahena ganham ouro na vela para o Brasil

Quinta | 18.08.2016 | 17h01


(Foto: Reprodução)

Campeãs mundiais, eleitas as melhores velejadoras do planeta e favoritas na primeira Olimpíada que disputariam na vida, justamente em casa. Com um ótimo desempenho na regata decisiva da classe 49er FX, Martine Grael e Kahena Kunzeignoraram qualquer tipo de pressão, venceram a medal race e conseguiram, nesta quinta-feira (18), o sonhado ouroolímpico, o quarto do Brasil na Rio-2016. A conquista na vela faz o país finalmente superar o número de títulos de Londres-2012, quando havia conquistado três primeiras colocações. O ouro de Martine e Kahena se soma aos de Rafaela Silva (judô), Thiago Braz (salto com vara) e Robson Conceição (boxe), que já haviam subido no alto do pódio olímpico no Rio de Janeiro. O Brasil, no entanto, ainda segue longe da meta para a Olimpíada, que era entrar no top 10 do total de medalhas – hoje tem 13, contra 17 da Coreia do Sul, décima colocada no momento.

Bronze: baiano Isaquias Queiroz garante mais uma medalha para o Brasil

Quinta | 18.08.2016 | 15h08


(Foto: Reprodução)

Após conquistar a prata na terça-feira (16/08), o baiano Isaquias Queiroz garantiu mais uma medalha, desta vez o atleta conquistou o bronze na prova C1 200m na canoagem, na manhã de hoje (18/08).  O ouro ficou com o ucraniano Iurii Cheban e a prata com Valentin Demyanenko, do Azerbaijão. Foi uma disputa emocionante para a família de Isaquias e todos que estavam na torcida. O baiano largou mal e chegou a ficar em último lugar no início da competição, mas não demorou muito para o atleta se reerguer na disputa e assim conquistar  o 3º lugar.  Essa é a segunda medalha do atleta na Olimpíada do Rio de Janeiro 2016. O baiano de Ubaitaba pode terminar a olimpíada com três medalhas e se tornar o brasileiro com o maior número de medalhas em uma edição olímpica. 

Robson Conceição faz história e conquista segundo ouro olímpico da história da Bahia

Quarta | 17.08.2016 | 09h07


Robson Conceição fecha os olhos para celebrar o ouro inédito para o Brasil (Foto: Getty Images)

Robson Conceição não tinha sonhos grandes. Invocado, queria ser que nem o tio Roberto, famoso por brigar na rua. Virou o “Terror” do bairro humilde onde nasceu, em Salvador. Ao descobrir o boxe, trocou os socos nas ruas pelos ringues e viu que poderia sonhar mais alto. Para alcançá-los, ralou. Foi feirante, vendeu picolé na praia, foi ajudante de pedreiro… Perdeu na estreia em duas Olimpíadas, Pequim 2008 e Londres 2012. Mas o destino lhe guardava algo grandioso. Na insistência e no talento, virou campeão olímpico. 

Rio 2016: Seleção feminina é eliminada dentro do Maracanã pela Suécia e disputará bronze

Terça | 16.08.2016 | 19h04


(Foto: Reprodução)

O sonho do ouro para o futebol feminino do Brasil parou na semifinal. Num jogo em que o time brasileiro atacou mais e teve a posse de bola durante o maior tempo do jogo, a Suécia segurou a pressão, e eliminou o time comandado por Vadão nesta terça-feira (16), no Maracanã. A derrota veio com requintes de crueldade, na disputa de pênaltis. Depois de empatar por 0 a 0 no tempo normal e na prorrogação, as brasileiras não tiveram perna para vencer a disputa de pênaltis frente às suecas, e foram derrotadas por 4 a 3, com Andressinha e Cristiane perdendo suas penalidades. A Seleção ainda terá a chance de conquistar a medalha de bronze. O adversário será definido na partida entre Canadá e Alemanha, às 16h, no Mineirão. A disputa do terceiro lugar acontecerá nesta sexta-feira (19), às 13h, na Arena Corinthians.

Baiano Isaquias Queiroz conquista a prata no C1 1000m no Rio

Terça | 16.08.2016 | 18h05


(Foto: Reprodução)

Na mitologia grega, o centauro é uma figura com cabeça, braços e dorso de um ser humano e com corpo e pernas de cavalo. Nascido em Ubaitaba (BA), que em tupi-guarani significa "Cidade das Canoas", Isaquias Queiroz atingiu o Olimpo como um verdadeiro centauro das águas. Em menos de quatro minutos, mais precisamente em 3m58s529, 1s603 atrás de Sebastian Brendel, da Alemanha, que ficou com a medalha de ouro, o brasileiro cruzou os 1000m da raia da Lagoa Rodrigo de Freitas para escrever seu nome no livro de ouro do esporte (veja como foi a prova no vídeo abaixo). A medalha de prata, primeira do Brasil na modalidade em uma Olimpíada, confirma o destino do canoísta. Nascido onde quem não rema não vive, Isaquias tornou-se, nesta terça-feira, imortal.

Na Bahia de Todos os Santos, Brasil desencanta e goleia Dinamarca

Quinta | 11.08.2016 | 09h05
Autor: G1


(Foto: Reprodução)

Quando souberam que seus filhos valorosos sofriam no campo chamado Fonte Nova, todos os santos e orixás da Bahia acudiram. Eles estiveram presentes nas milhares de pessoas presentes naquele estádio, passando boas energias aos 11 meninos no gramado; também se manifestaram nos passes precisos de Renato Augusto, na calma de Rodrigo Caio, nos cruzamentos de Zeca e Douglas Santos; acarinharam Neymar; corrigiram a mira de Gabriel Jesus e Gabriel. Em Salvador, quando o risco de um vexame era real, tudo se acertou, e a seleção olímpica goleou a Dinamarca por 4 a 0, classificando-se para as quartas de final dos Jogos do Rio de Janeiro.Classificado em primeiro lugar, o Brasil viaja para São Paulo, onde enfrenta a Colômbia no próximo sábado, às 22h (de Brasília), na Arena Corinthians. Apesar da derrota, a Dinamarca se classificou na segunda posição e vai encarar a Nigéria no mesmo dia, em Salvador, às 16h.

Atletas baianos são promessa de medalha para o Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio 2016

Terça | 02.08.2016 | 07h04
Autor: Bahia Notícias


Dentre os 465 atletas que integram o Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016, apenas 16 competidores representam a Bahia na maior competição de esportes do mundo. Apesar do baixo número, o estado é o maior entre os das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste e tem entre os seus participantes, boas referências para a conquista de medalhas na primeira Olimpíada sediada na América do Sul.Entre as modalidades com competidores baianos, três delas carregam boas chances de ouro olímpico para a Boa Terra. “Eu treino bem passo a passo, justamente para não acontecer o que aconteceu em 2011 quando fiquei de fora de 2012. Estou bem realista e quero hoje fazer etapa por etapa para chegar lá na frente cumprindo essas etapas e estar mais preparada para a meta final”, afirmou a nadadora Ana Marcela Cunha, em entrevista concedida ao Bahia Notícias (confira entrevista completa aqui). Campeã mundial dos 25m da Maratona Aquática em duas ocasiões, Xangai 2011 e Kazan 2015, a soteropolitana é um dos principais nomes na modalidade e tem como sua vantagem o reconhecimento dos mares cariocas. Além da competidora, o baiano Allan do Carmo também representa o estado e tem boas chances de subir ao pódio no Rio 2016. “Não dá para pensar em outra coisa que não seja a medalha olímpica. Trabalhei os últimos quatro anos pensando nesse momento. Não só eu. Mas toda a minha equipe. Mas, acima de qualquer coisa, a expectativa é de dar o melhor, fazer o máximo, colocar em prática tudo o que foi planejado e fazer valer o apoio que tenho recebido de todos os brasileiros durante esses anos” (confira entrevista completa aqui).

Treinar acompanhado ajuda a melhorar o desenvolvimento, diz pesquisa

Domingo | 17.07.2016 | 10h00


(Foto: Reprodução)

Encarar um treino na academia nem sempre é tarefa fácil. Porém, tudo fica mais legal quando se tem uma companhia, concorda? Um estudo da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (USP) acaba de revelar que ter o acompanhamento de um amigo, namorado ou algum parente na hora do treino, ajuda a concluir os treinamentos e até reduzir o estresse. Isso porque a interação social entre os praticantes faz com que um apoie o outro e assim as metas terminam sendo atingidas mais naturalmente. E estas conclusões do estudo são realmente percebidas dentro das academias. “A presença de um amigo serve de apoio para que a pessoa se mantenha fiel aos seus objetivos. Além disso, eles podem se ajudar acompanhando a evolução de cada um nos treinos e compartilhando as dificuldades encontradas em cada série realizada”, comenta Mateus Riccio, educador físico e coordenador técnico da Hammer Academia. Além de tudo isso, malhar acompanhado ainda estimula o sentimento de “espírito de equipe”, além de uma saudável competitividade em alguns momentos. “A competitividade, quando encarada de modo saudável, nos ajuda a ultrapassar desafios e estipular novas metas”, complementa o professor. Assim, o exercício se tornou uma das melhores maneiras de unir a família ou amigos que na correria do dia a dia não dispõem de muito tempo para se encontrar. Passando esse tempo dentro da academia junto, podem incentivar uma a outra e ainda matar a saudade.

Executivo revela que sorteios da Copa do Mundo são manipulados

Quinta | 14.07.2016 | 17h00


(Foto: Reprodução)

Os sorteios das chaves da Copa do Mundo são alvos de manipulação. Quem confirma isso é Benny Alon, executivo que por anos operou na organização de Mundiais em parcerias com países-sede e empresas que sustentaram as operações de vendas de entradas para os torneios. Atualmente, Alon lidera uma batalha judicial milionária contra a Fifa, que também o acusa de irregularidades. Mas o executivo, que tem colaborado com a Justiça suíça, revela detalhes de como a entidade funciona. Segundo ele, nem os sorteios de chaves do Mundial estão isentos. Um dos casos mais explícitos teria sido o da Copa de 1994, nos Estados Unidos. "Um dia antes do sorteio, estava com os organizadores que me confirmavam a pressão do México para jogar em Orlando", contou. A cidade seria um dos locais onde haveria uma importante comunidade de torcedores mexicanos e atendia aos interesses dos patrocinadores. Quando o sorteio ocorreu, o México caiu justamente no Grupo E, que se dividiria entre Washington e Orlando. A seleção mexicana terminou na primeira colocação, depois de bater a Irlanda no Citrus Bowl de Orlando. "Não sei como fizeram com as bolinhas. Mas a realidade é que o pedido dos mexicanos foi atendido no sorteio", indicou Alon, que desde o Mundial de 1990 atuava nos bastidores. Naquela época, o "homem das bolinhas" era Joseph Blatter, secretário-geral da Fifa e responsável por organizar os sorteios. Procurada pela reportagem, a Fifa não retornou os e-mails solicitando uma reação às denúncias do executivo. Em junho deste ano e já afastado, Blatter confirmou que sorteios para torneios internacionais foram alvos de manipulação. Mas garantiu que, sob seu mandato na Fifa, isso "jamais ocorreu". As declarações foram ao jornal argentino La Nación. Blatter não deu detalhes. Mas insistiu que isso apenas ocorria na Europa, com o uso de bolas frias para que a pessoa que fizesse o sorteio pudesse escolher de maneira a atender a interesses. Papéis com os nomes das seleções são tradicionalmente colocados nessas bolas e teoricamente misturados. "Claro que é possível sinalizar as bolas, ao esquentar ou esfriá-las", disse Blatter. "Isso não ocorre na Fifa. Mas eu fui testemunha disso em sorteios no nível europeu. Mas nunca na Fifa", insistiu o suíço. "Claro que isso tecnicamente pode ser feito. Mas jamais no meu caso. Jamais", continuou. "Bolas são colocadas na geladeira antes do sorteio. A mera comparação entre umas e outras ao tocá-las já determina as bolas frias e quentes. Ao tocar, já se sabe o que há" disse. Sobre o sorteio para a Copa de 2014, no Brasil, Blatter garantiu que tudo ocorreu dentro das regras, sem qualquer manipulação. Nas escolhas, a Argentina foi amplamente favorecida pelo grupo que enfrentou e o percurso até a final. "O sorteio foi limpo. Eu nunca toquei nas bolas, algo que outros fizeram".

Portugal vence a França e é campeão da Eurocopa

Segunda | 11.07.2016 | 08h03


(Foto: Reprodução)

Portugal  venceu a França por 1 a 0 e conquistou pela primeira vez a Eurocopa. Sem o capitão Cristiano Ronaldo, que se machucou e teve que ser substituído aos 23 minutos do primeiro tempo, Éder fez o gol do título aos 3 minutos do segundo tempo da prorrogação. É a primeira taça de um torneio grande na história da seleção portuguesa, e aconteceu após uma campanha com apenas uma vitória no tempo normal: contra Gales, na semifinal. Os outros seis jogos terminaram em empate nos 90 minutos. Com o título, Portugal se classifica para a Copa das Confederações de 2017, na Rússia. O zagueiro Pepe foi eleito o melhor jogador da final. Ele foi o principal jogador da defesa portuguesa, praticamente impecável principalmente porque do outro lado estava a equipe com o melhor ataque da Eurocopa. Griezmann, titular, terminou como artilheiro do torneio, com 6 gols, mas não conseguiu produzir muito na final. Quando passaram pelos homens de linha, os franceses pararam na atuação perfeita do goleiro Rui Patrício, que fez pelo menos três defesas muito difíceis. A equipe da França, apesar de ter mandado na partida, não conseguiu aproveitar a 'vantagem' que a saída de Cristiano Ronaldo, ainda no primeiro, tempo lhe deu. O astro português levou uma pancada de Payet, aos 23, torceu o joelho esquerdo e deixou o gramado de maca e chorando muito. Quaresma, que entrou em seu lugar, foi bem. Quase marcou de voleio no final do jogo, ajudou na marcação e fez com que a equipe não sentisse tanta falta do capitão. Outra estrela portuguesa, o meia Renato Sanches foi eleito o melhor jogador jovem da Euro, mas teve que se preocupar mais com a marcação do que com o ataque na partida e pouco apareceu 

Resfriado x exercício físico

Terça | 05.07.2016 | 08h00
Autor: Vitor Cotrim


Foto: Laércio de Morais I Brumado Urgente

Qualquer pessoa que pratica exercício físico regularmente pode produzir efeitos, tanto positivos quanto negativos, no período em que se está resfriado. Tudo isso vai depender da forma que se planeja o treinamento. Durante esse período de enfermidade os exercícios  regulares, de intensidade moderada, podem atenuar o risco de agravar esse resfriado e melhorar o sistema imunológico.

Já os exercícios de alta intensidade e duração prolongada podem deixar o organismo mais fraco e propenso a infecções, pois abre uma janela de fragilidade na qual vírus e bactérias podem se instalar, favorecendo o desenvolvimento de infecções. Contudo apresentando sintomas de tosse, dor de garganta e febre é aconselhável não treinar e ficar em repouso.

Mas se pretende treinar estando apenas resfriado dê preferência aos exercícios de intensidade moderada e procure sempre a orientação de um profissional de educação física.

'É bem possível que a Fórmula 1 acabe no Brasil', admite Felipe Massa

Quinta | 16.06.2016 | 19h01
Autor: Uol Notícias


(Foto: Reprodução)

Felipe Massa reconheceu que o Brasil pode perder sua etapa no mundial de Fórmula 1 em breve. Em conversa com o UOL Esporte no início dos trabalhos em Baku, para o Grande Prêmio do Azerbaijão, o piloto da Williams disse considerar como uma possibilidade real a ameaça do chefão da categoria, Bernie Ecclestone, de acabar com a prova brasileira a partir da temporada 2017. "A gente sabe como funcionam as negociações do Bernie. Ele gosta de colocar pressão, como já vimos que aconteceu com Monza e em outras ocasiões. Quando tem alguma coisa que não está acontecendo do jeito que ele quer, ele fala o que tem de falar", disse Massa."Por outro lado, sabemos como está a situação. O momento do Brasil é muito difícil. Então não é impossível que acabe a F-1 no Brasil. É bem possível. Nesse momento, é muito difícil você ter certeza de alguma coisa. Vivemos em uma situação na qual está tudo chegando no limite em vários aspectos."